Iniciação

 

Check out the dedicated page on SSE responses to COVID-19: information from the members and observers of the UNTFSSE

 

 

A comunidade internacional reconhece a necessidade de repensar o desenvolvimento. A manutenção do statu quo não impediu as recentes crises financeiras e alimentares, as alterações climáticas, a pobreza persistente e o aumento das desigualdades. No contexto da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável 2030, precisamos de considerar a Economia Social e Solidária (ESS) como uma via importante para transformar o mundo para melhor.

A Força Tarefa Inter-Agências das Nações Unidas sobre Economia Social e Solidária (UNTFSSE) foi criado para aumentar a visibilidade da ESS nos círculos políticos e de conhecimento internacionais. Acreditamos que a ESS tem uma promessa considerável de contemplar as abordagens económicas, sociais e ambientais integradas do desenvolvimento sustentável.

A UNTFSSE reúne agências da Nações Unidas e outras organizações intergovernamentais, bem como associações de cúpula de redes de ESS na qualidade de membros e observadores. As atividades da Força Tarefa incluem a organização de eventos em conferências da ONU e outros congressos internacionais, o diálogo com decisores políticos, a preparação e divulgação de publicações através do recém-criado Knowledge Hub, e o envolvimento em projectos de colaboração envolvendo os membros e observadores da UNTFSSE. A realização mais recente foi o lançamento do Knowledge Hub, uma plataforma que reúne investigação sobre o potencial da ESS para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Agenda 2030.

“Esta Força Tarefa reúne diferentes competências, experiências e perspectivas. Desde 2013, tem vindo a crescer consideravelmente. O seu trabalho tem sido enriquecido com a adesão de novas agências da ONU e redes e organizações da sociedade civil ao longo do caminho. Estamos entusiasmados com o que foi alcançado, o que ainda tem de ser feito e como podemos fazê-lo em conjunto. O mundo está a enfrentar grandes desafios sob a forma de um enorme déficit social e de alterações climáticas. Precisamos de nos concentrar na forma como podemos aumentar o impacto da economia social e solidária para enfrentar estes desafios, promovendo-a como alternativa viável para alcançar e localizar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Precisamos de assegurar que uma abordagem centrada nas pessoas impulsione as nossas economias. Temos de trabalhar na criação de ambientes propícios – a todos os níveis – para permitir que os ecossistemas de ESS floresçam como parte de economias plurais e de sociedades mais inclusivas e sustentáveis. Precisamos de chegar – através dos sistemas educativos – às novas gerações que são as que podem impulsionar uma mudança e caminhar para um futuro melhor”.

Victor van Vuuren, atual presidente da UNTFSSE e diretor do departamento de Empresas da OIT

“A Economia Social e Solidária engloba organizações e empresas que: 1) tenham objetivos econômicos e sociais (e muitas vezes ambientais) explícitos; 2) envolvam diversos graus e formas de relações cooperativas, associativas e solidárias entre trabalhadores, produtores e consumidores; 3) pratiquem a democracia no local de trabalho e a autogestão. A ESS inclui formas tradicionais de cooperativas e associações mútuas, bem como grupos de auto-ajuda de mulheres, grupos florestais comunitários, organizações de prestação social ou “serviços de proximidade”, organizações de comércio justo, associações de trabalhadores do setor informal, empresas sociais, moeda comunitária e esquemas de financiamento alternativos”.

Peter Utting, ex-presidente da UNTFSSE e ex-director-adjunto da UNRISD